Carreira em lambda em TI

Quem trabalha em TI (e possívelmente outras áreas técnicas) já devem ter ouvido falar da “Carreira em Y”. Este formato de plano de carreira prega uma progressão onde uma pessoa de perfil técnico não precisa passar desempenhar uma função administrativa (virar gerente) para subir. Ela pode continuar progredindo como um técnico até o fim de sua carreira na empresa. Isto foi criado para evitar um antigo problema enfrentado pelas empresas: perder um ótimo técnico para ganhar um péssimo gerente. É uma ideia boa, porém pouco implementada (e virou até motivo de piadas).

Pois então vou apresentá-los minha teoria sobre o que realmente acontece na grande maioria das empresas: a “Carreira em Lambda”. Explico-lhes logo abaixo.

Esquema da Carreira em LabdaDividimos o lambda em dois lados: esquerdo mostra a carreira administrativa e direito a técnica. Na parte inferior da figura temos 2 inícios de carreiras para cada tipo.

Então você pergunta: “início da carreira administrativa? Mas isso não é só para gerente?” Era sim antigamente, quando só os gerentes cuidavam da papelada. Atualmente o nível de burocracia das empresas de TI é tal, que é preciso delegar um pouco deste trabalho tedioso para os subordinados.

Quem começa do lado administrativo tem vantagens, o caminho é sempre ascendente, o que o torna mais curto. Quem começa como técnico, primeiro começa a desaprender todas as boas práticas para se adaptar à estrutura da empresa e aos prazos absurdos dos projetos, até chegar ao “Vale das Desilusões”.

O “Vale das Desilusões” (nome emprestado do Hype Cycle do Gartner) representa aquele momento em que o técnico desaprendeu tanto, que se pergunta se ele escolheu a carreira certa. Neste momento, a muitos técnicos tentam migrar para a outra perna da carreira, mas a maioria persiste achando que vai melhorar.

Passado o Vale, o técnico começa a conseguir melhorar na carreira, conseguindo aos poucos reaprender e aplicar os conhecimentos no ambiente em que trabalha. É o momento de maior satisfação em sua carreira, até que ele atinge o topo e tenta passar para o nível acima (o braço técnico da carreira em Y).

Enquanto ele tenta eternamente passar para o outro nível, os seus colegas administrativos conseguem promoções e viram seus gerentes. O técnico pode passar anos neste ponto. Daí ou ele muda de emprego ou ele se dá por vencido e tenta virar gerente. A partir deste momento também é só ascensão até o momento em que o profissional está no topo da carreira da empresa. A partir daí, começa a preparação para a aposentadoria, quando ele procura não esquentar muito a cabeça até finalmente se aposentar e começar a viver de verdade.

PS: Apesar da experiência quase nula em edição gráfica, fiz este esquema rapidamente com o software livre Inkscape!