Introduction to Digital Sound Design – Como foi

No meu último post falei sobre cursos voltados para música que serão disponibilizados gratuitamente no site Coursera durante o ano de 2013. Semana passada acabou o primeiro dos que me inscrevi, o Introduction to Digital Sound Design, e irei falar um pouco sobre como foi.

Minha impressão geral do curso foi muito boa: o conteúdo apresentado foi bastante relevante e o professor, Steve Everett, tem uma ótima didática. Apesar de ser uma matéria com muito conteúdo teórico, praticamente todos os conceitos foram demonstrados na prática.

A primeira semana foi ensinado o básico de som. O que é, como nosso ouvidos o captam e suas propriedades. Uma propriedade fundamental para o som, mas que nunca soube como explicar é o timbre e foi explicado e detalhado utilizando o software livre Sonic Visualiser.

A segunda semana falou um pouco sobre a tecnologia musical, apresentando o funcionamento de alguns tipos de microfone (dinâmico e condensador) e qual deles é apropriado para qual tipo de gravação. Além disso, foi ensinado o funcionamento básico dos mixers, bem como as diferentes partes que os compõem e como melhor ajustá-los para uma gravação. Também foi explicado o funcionamento da interface MIDI, utilizado por instrumentos digitais e como ele é transmitido e convertido em som digital. Por fim, foram apresentados os diversos tipos de efeitos que podem ser aplicados a áudio digital e também demonstrados na prática com o software livre Audacity. Esta, junto com a terceira, foi a semana mais interessante do curso.

A semana 3 foi bastante pesada, apresentando os conceitos de síntese de som, ou seja, como se gerar som digital para imitar ou não um instrumento musical de verdade. Osciladores, formas de onda, filtros e todos eles funcionando ao mesmo tempo e demonstrando seu impacto na forma de onda original! Esta parte é muito interessante, principalmente para quem gosta de fazer música eletrônica e/ou experimental. Foram citados os programas que fazem síntese de som, onde destaco os softwares livres Pure Data (PD) e Supercollider.

A última semana falou sobre estratégias criativas e as que acho que merecem destaque são sonificação e “orquestras móveis”. Sonificação é o processo de pegar um conjunto de dados qualquer, definir regras de como cada dado irá se transformar em qual componente de síntese. Por exemplo, foi apresentado um trabalho feito pelo professor onde ele usou dados do genoma humano e transformou em áudio. Orquestras móveis (mais conhecidas como laptop orchestras) foram apresentadas como formas de criar música digital colaborativamente, inclusive citando programas que suportam esta função, como os já citados Pure Data (PD) e Supercollider.

Como bônus, foi ensinada um pouco da histórica dos diferentes temperamentos musicais já criados até chegarmos no “Tempetamento Igual”, adotado atualmente para a música ocidental. Além disso, diversos tutoriais de softwares foram disponibilizados incluindo os softwares livre que citei no post, além do Hidrogen.

Como exercício final, utilizamos o site Soundation para criarmos uma peça de som com duração de 1 minuto e os demais estudantes votam nas que gostaram.  A minha criação pode ser ouvida abaixo:

Como puderam ver, o curso é bem rico em conteúdo e bastante prático. Se você se interessa pelo tema e perdeu esta turma, acompanhe o site do Coursera para saber quando irá abrir uma nova turma.