Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!

…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

Desafio Firefox 3.0

Hoje estava conversando com um colega de trabalho meu e ele estava perguntando se eu estava preparado para baixar o Firefox 3.0 hoje. Respondi positivamente e perguntei o mesmo para ele. Sua reposta: “Não! Eu não sou software livre nem nada disso!”

Isso me motivou a convidar todas as pessoas que pensam que o único motivo para as pessoas usarem o Firefox é por ele ser software livre para um desafio:

UTILIZE O FIREFOX COMO SEU BROWSER PADRÃO POR 1 SEMANA

Se não achar ele melhor que o Internet Explorer, … bem… Isso não vai acontecer mesmo! :)

“Sim, mas para que vou querer usar isso?” Reposta:

  1. Você terá mais produtividade;
  2. Você está promovendo os padrões abertos da W3C (como profissionais de informática, deveríamos defender os padrões abertos para termos menos trabalho, pois é muito trabalhoso trabalhar com coisas sem padrão ou com padrões desconhecidos);

Viram que eu nenhuma das respostas é ligada à software livre; apenas à qualidade (seguir padrões é ter qualidade)!

Para quem aceitar o desafio, me disponho a dar dicas de extensões boas e aconselho desde já o uso da navegação por abas (abram em outra aba os links que abririam em outra janela a partir do botão do scroll do mouse).

Clique aqui para ir à página de download.

Abraço!

PS: Sei que esse negócio de “desafio” é escroto, mas foi a melhor forma que encontrei para incentivar as pessoas a conhecer uma ferramenta super bem-feita e sair da mesmice!

Testes de fim de semana – parte 2: AWN

O segundo aplicativo (o primeiro foi o GnomeDo) que testei este fim de semana foi a barra “dock-like” (parecida com a do MacOS X) Avant Window Navigator (AWN). Sua instalação, como a do GnomeDo, também é simplificada, pois também encontra-se no repositório do Ubuntu. Eu, no entanto, segui este tutorial para utilizar a ultima versão disponível no repositório do projeto, incluindo diversos applets extras, deixando a experiência mais rica. Eu recomendo a segunda, pela quantidade de applets dsponíveis. Em qualquer uma das duas formas, após a instalação, o aplicativo ficará disponível no menu “Aplicações -> Acessórios”. Basta clicar nele para ativar.

Com um pouco de uso, percebe-se que se trata de um aplicativo bem flexível, possibilitando substituir em uma única barra o menu de aplicações, a barra de janelas abertas, barra de atalhos e diversos applets para o painel do Gnome, como os de pontos de montagem, Tomboy e recursos do sistema. São tantas opções de applets para o AWN, que fica é fácil montar a barra da forma que se deseja, trazendo mais agilidade ao dia-a-dia. Gostei muito do “AWN Main Menu”, que é basicamente o menu de aplicações do Gnome, mas mais fácil de localizar as coisas. Além disso, existem applets de aplicações web, como o Remember the Milk (ótimo substituto para o Tomboy), e pode-se adicionar atalhos de aplicações.

Mas o ponto principal da aplicação é seu bonito visual, que chama bastante atenção. Ele suporta vários efeitos pré-configurados, possibilitando ainda composição de efeitos para cada tipo de evento de forma personalizada. Outro ponto positivo é seu suporte a temas, para deixá-lo ainda mais com a “cara” que se deseja.

AWN com diversos applets e mostrando, no final (antes do link de logoff), as aplicações abertas

Apesar de tudo isso, não sei se conseguirei me acostumar com ele. O problema é que quando a barra se redimensiona, pela abertura ou fechamento de uma aplicação, temos que esperar a animação acabar para clicar em outra coisa, sob o risco de clicar em algo indesejado acidentalmente. Na minha opinião o efeito animado deveria ser mais rápido, ou melhor, isso deveria ser configurável (já fiz esta proposta aos desenvolvedores). Outro problema é a instabilidade de alguns applets. De qualquer forma, quem quiser chamar a atenção dos amigos e familiares para o Linux, irá adorar!

Espero que tenha gostado dos artigos e peço por feedback, se possível, pois estes são os primeiros artigos que escrevo num blog. Eles foram escritos de forma um pouco corrida, mas espero ter mais tempo para os próximos. Abraço!

Testes de fim de semana – parte 1: GnomeDo

Os dias úteis são sempre complicados para tirarmos um tempinho para diversão, como testar “programinhas” no computador. Este fim de semana testei dois programas (para Linux, claro) que estou com vontade de testar à muito tempo e abaixo falarei sobre o primeiro deles: o GnomeDo.

Tenho muito ouvido falar da ferramenta GnomeDo, que promete agilizar qualquer tarefa que quisermos realizar ao computador. A instalação no Ubuntu Hardy é muito fácil, já que ele está no repositório, mas o repositório tem poucos plugins e não cheguei a instalar nenhuma outro manualmente, apesar do processo parecer simples.

Instalado, vamos utilizá-lo e, para tal, é preciso deixá-lo rodando em “background” com o comando:

gnome-do --quiet

Desta forma, basta utilizar o atalho “super + espaço” (onde super é o botão Windows do teclado) que a tela do GnomeDo aparecerá. Ao começar a digitar, ele vai tentando adivinhar progressivamente a tarefa que se deseja realizar. É realmente muito fácil de se usar e traz uma praticidade muito grande! Quer ouvir música? Para que utilizar o mouse e procurar o reprodutor no menu “Sons”? “Super + espaço” seguido de “música” já resolve o problema! Claro que para ser mais prático, o ideal é adicioná-lo aos programa que iniciam junto com a sessão, para ele já ficar disponível após o boot.

GnomeDo em ação (prestes a buscar no Wikipedia pela minha banda favorita!)

Ok, nem tudo são flores. Um problema que encontrei é que nem sempre o que se deseja fazer está escrito da forma como desejamos. Por exemplo, se desejar encontrar um arquivo através do Tracker (software de busca “full-text” rápida e indexação de arquivos, equivalente ao Google Desktop ou ao Beagle), o mais lógico seria escrever “encontrar”, “buscar” ou até “search”, mas nada disso funciona. Para abrir a janela do tracker deve-se escrever “tracker” ou “pesquisa” e colocar a seta para baixo para selecioná-lo, pois a opção que aparece da primeira vez é a ferramenta de configuração. Pelo menos ele é inteligente e da próxima vez que se digita “pesquisa”, ele já o coloca como primeira opção.

Resumo, o GnomeDo é muito útil e agiliza muito as tarefas do dia-a-dia. Gostei muito do atalho “super + espaço” e da sua forma de uso. Mas uma sugestão que darei ao desenvolvedor é possibilitar o uso de lista de sinônimos e não apenas a busca pelo nome que os programa estão escrito no menu.

A parte 2 já está escrita e já pode ser lida; fala sobre o AWN. Abraço!